quarta-feira, 20 de abril de 2016

Universo da Cultura Pop - Crítica S02 Fear The Walking Dead | EP02 We All Fall Down


ATENÇÃO!
O TEXTO A SEGUIR PODE CONTER SPOILERS

Como mencionado na crítica do primeiro episódio (Monster), havia a possibilidade de se construir uma boa trama em alto mar, explorando a ideia de piratas, walker na água, etc. Contudo, no segundo episódio, We All Fall Down, fomos deslocados novamente para terra, o que acredito não ser um problema. Pois, a viagem de Strand para o México - mesmo se não chegarem lá - é longa. Assim, precisam atracar algumas vezes para conseguir mantimentos, talvez abrigo durante uma tempestade, enfim as possibilidades de se explorar FTWD em terra e no mar estão ai.

Eu gostei do início, eles precisam atracar após um sinal luminoso vindo da terra, logo, que chegam, encontram a família Geary: George (pai), Melissa (mãe) e os filhos, Seth (o mais velho), Harry e Willa. O grupo tenta passar segurança de que eles boas pessoas, e que não estão doentes. Por isso, eu nem me dei conta que a família poderia ser uma ameaça, porque, eles pareciam muito desconfiados e temerosos.

Voltando para o encontro deles, os grupos começam a se misturar e conversar, Travis fica sabendo por George, que metade do país foi devastado, inclusive, San Diego, percurso anterior do grupo. Já, Melissa começa a fazer muitas perguntas para Madison, querendo saber qual era a profissão dela, se gostava de crianças. O motivo é explicado no final do episódio. Durante as conversas delas, surge Seth, que parece não gostar nenhum um pouco dos convidados. O que não faz muito sentido, porque na cena seguinte, ele aceita que Chris o acompanhe para matar walkers na cerca, e até empresta a picareta dele para isso. Então, Chris começa a matar walkers até que Travis chega no local e vê a maneira que o filho age enquanto mata as criaturas. Segundo Chris, ele quer se sentir útil - acredito ser importante que o jovem aprenda a usar armas para sobreviver. Acho que ele entende que essas habilidades são importantes para sobreviver. Todavia, Isso pode ser um problema no futuro devido à instabilidade do rapaz.

Strand fala com alguém no telefone - não sei como ainda funciona - e pelo modo que respondia, ele falava com um ente querido ou uma pessoa com que ele tem negócios. Enfim, ele precisa chegar ao destino até à tarde, isso se Daniel não fizer algo, agora, que sabe que o trajeto de Strand é o México, e que estava armado.

A cena quando Harry mostra seus brinquedos para Nick, é muito boa, qualquer um, só de olhar os bonecos, entende que o menino já viu muita coisa. E apesar do horror que presenciou, já está se adaptando ao novo mundo. Falando sobre Nick, é ele que causa o desfecho da história de modo dramático. Nick esta procurando drogas, e acha algumas pílulas dentro de um esconderijo bem inusitado. Entendo que ele possa pensar como alguém que quer esconder drogas, mesmo assim, foi muita sorte ele deduzir que poderia ter algo ali. Para completar, Nick AFIRMA que o que ele achou não são drogas e sim veneno, e que George esta envenenando a família. Tudo bem, que o passado de Nick é desconhecido, como de todos os personagens, e o jovem pode ter habilidades sendo exploradas aos poucos. E o próprio fato de ser um viciado traz muito conhecimento sobre drogas. Mas, mostrar desse jeito, foi muito repentino e conveniente duas vezes seguidas.

Depois de algum tempo, Melissa revela que fez o sinal de propósito, porque queria salvar os filhos. Ela percebeu que George queria que a família morresse ali, e decidiu pedir ajuda para o primeiro grupo que encontrasse. É compreensível que Melissa tenha se arriscado ao pedir ajuda para estranhos. Mas, acredito, por não saber quem estava no barco, às crianças poderiam ter um fim muito pior do que a morte. Enfim, quando chega a hora de levar as crianças para o barco, Harry pede ajuda porque algo aconteceu com Willa. A menina tomou uma das pílulas que Nick achou, causando a morte dela, eis que surge o primeiro walker criança da série, que em seguida causa a morte de Melissa. Após, esse momento de desespero, o grupo foge para o barco com Harry. Mas, Seth aparece e recupera o irmão. Outra vez, Daniel hesita em tomar uma atitude para se preservar... Mesmo por uma criança. Pode ter sido o melhor a se fazer, porque provavelmente mais de uma pessoa morreria ali.

Conclusão

Madison e Nick talvez se sintam muito culpados, ela por não conseguir salvar ninguém de novo, e o jovem por talvez - depende da visão de cada um - ser o causador da morte da menina.

Travis continua sem saber o que fazer, tenta agradar todo mundo e só faz algo de concreto sob pressão.

Novamente Ofélia e Alicia não fazem nada demais, e esta ficando chato ver alguns deles parecerem coadjuvantes. O que me preocupou, pois, até o desfecho do episódio, eu acreditava que mais integrantes de juntariam ao grupo. O que complicaria ainda mais a divisão de espaço dos personagens. No entanto, não houve novas adições ao grupo, os roteiristas precisam explorar melhor cada personagem. O que me fez questionar se um ou dois deles vão morrer logo para facilitar o roteiro.

Texto: Giulian Cavalli

Nenhum comentário:

Postar um comentário