terça-feira, 5 de abril de 2016

Universo da Cultura Pop - O final da 6° temporada de The Walking Dead

ATENÇÃO!

O TEXTO A SEGUIR PODE CONTER SPOILERS!

O último episódio da 6ª temporada (Last Day on Earth) foi desesperador, sufocante, a sensação é de não haver uma saída e nem chance de lutar, isso está presente durante todo o episódio. Eu mesmo me senti tenso, quase como se estivesse junto ao Rick e os outros, sem poder evitar o que Negan estava prestes a fazer.

Rick foi superado tanto em números como taticamente, foi encurralado e teve seu psicológico destruído durante cada tentativa frustrada de salvar Maggie (Lauren Cohan). No fim encontrava-se perdido e desesperado, parecia que era seu primeiro dia no Apocalipse. A arrogância de Rick (Andrew Lincoln) já durava muito episódios, e isso o tem levado a tomar decisões precipitadas, caminhando para um fim trágico e inevitável. Rick demonstrou durante muito tempo seu excesso de convicção, ele sentia que era o rei do mundo, que não haveria mais ninguém capaz de tirá-lo de seu trono. Rick não quis acreditar nos avisos de Jesus, não procurou conhecer todo o poder de Negan e entender como ele agia.

O longo discurso de Negan (Jeffrey Dean Morgan) apenas trouxe mais ansiedade, tanto para o público, quanto para os personagens. O que apenas dificultava adivinhar quem Negan escolheria para matar. O final do capítulo se mostrou fiel aos quadrinhos, os salvadores subjugando o grupo de Rick, a aparição de Negan e como ele dita as novas regras para Alexandria. Por fim o modo peculiar de escolher a pessoa que vai servir de exemplo. O que era para ser o momento de clímax do episódio foi uma grande decepção, foi uma falta de respeito com os fãs que esperaram por essa cena a temporada toda. Essa foi uma tentativa de marketing barata, apenas para atrair mais audiência de um público que já é fiel. O problema que até o início da sétima temporada alguém pode vazar qual personagem morreu. Além disso, como o departamento de marketing vai fazer propagandas descentes sem mostrar quem ainda é refém? Qualquer personagem que aparecer vai ser descartado como o escolhido por Negan.

Morgan (Lennie James) apesar ter a crença que toda vida é preciosa, que todos merecem uma segunda chance, ele precisou matar. Ele sabia que no mundo onde vive, cedo ou tarde, esse momento chegaria: matar ou morrer. Diante da situação que Carol estava, a ponto de ser assinada por um dos Salvadores, Morgan tentou conversar para evitar um derramamento de sangue. Mas ele precisou quebrar sua regra e matar o Salvador, o interessante disso é que Morgan pode ter uma nova regra, de matar apenas em legítima defesa. Além disso, novamente seu pensamento de poupar vidas trouxe benefícios, o que pode reforçar sua crença. Pois Morgan no episódio 15 (East) impediu Rick de matar um homem de armadura, ele é o mesmo homem ruivo que surge parar ajudar Carol. Ele pertence ao grupo Kingdom, liderado por Ezekiel, que nos quadrinhos forma uma aliança futura com Alexandria. Ou seja, Morgan pode ter sido o responsável pela união desses dois grupos contra os Salvadores.

A atuação de Carol (Melissa McBride) e a evolução da personagem nesses últimos seis anos foram incríveis. Ela mudou muito desde a primeira temporada em que era uma mãe dedicada que apanhava do marido. Agora na sexta temporada, ela foi capaz de ameaçar de morte o falecido Sam, lutar e matar pessoas. A série mostrou como um apocalipse pode transformar uma pessoa. Contudo, Carol mudou e agora que viu aonde chegou, do que é capaz de fazer, não aceita mais ser assim, tendo surtos perante situações de risco. Veremos que caminho Carol seguirá.

Conclusão da Temporada
A série como um todo foi muito boa, teve grandes momentos de ação e drama, ótimas adaptações de momentos clássicos dos quadrinhos. Porém, ela pecou por conter tramas desnecessárias que não levaram a lugar nenhum, apenas para manter o público assistindo a série semana após semana. O que já havia demonstrado ser um problema como quando ficamos sem saber se o Gleen morre ou não e o desvio da história principal para dar foco num capítulo sobre Morgan. As atuações foram ótimas, em especial nessa conclusão com a atuação de Andrew Lincoln (Rick) com medo, e  Jeffrey Dean Morgan (Negan) mesmo sem poder falar diversos palavrões de modo descontrolado como nas HQs, conseguiu usar sua presença de palco e roubar a cena.

                                                 Texto: Giulian Cavalli


Um comentário:

Anônimo disse...

Só de olhar para o Jeffrey e lembrar do seu "Comediante" já da uma alegria... hahaha

Postar um comentário