quinta-feira, 5 de maio de 2016

Universo da Cultura Pop - Crítica Capitão América | Guerra Civil


ATENÇÃO!
O TEXTO A SEGUIR PODE CONTER SPOILERS

Introdução

Uma cena remetendo o passado de Buck, onde o soldado é despertado para uma missão. Ele segue um carro durante a noite e o faz sair da pista com um golpe, após, ele abre o porta malas onde acha cinco pacotes com uma substância azul. Essa cena tem grande importância para a luta final dos heróis.

Parte dos Vingadores estão numa missão em Lagos (Nigéria), o objetivo é evitar a tentativa de roubo de um patógeno. Durante a intervenção, o Capitão América encontra Ossos Cruzados, luta com ele e vence. O vilão fala sobre Buck para distrair Rogers e detona uma bomba que carregava no corpo.  Para proteger o herói, Wanda cria uma barreira em volta de Ossos Cruzados e tenta lançado para o alto, mas acaba por atingir um prédio com pessoas.  

Após a missão, enviam General Ross para que os heróis assinem o tratado de Sokovia ou se aposentem, o mundo não tolera mais que os Vingadores ajam sem supervisão.  Ross mostra que essa não foi à primeira falha do grupo. Em Vingadores (2012), Hulk derruba escombros em pessoas que filmavam a invasão, em Capitão América 2(2014) a queda do porta-aviões da Shield em Washington D.C. Em Vingadores 2 (2015) partes da cidade caem em prédios. O que é interessante, pois não se trata apenas da destruição em si, mas das vidas perdidas. 

Tony sentindo-se culpado, prefere assinar para preservar não apenas a vida das pessoas, mas também, para que os demais não sejam vistos como foras da lei. Já Steve teme que eles possam ser mandados a fazerem coisas que não queiram, ou que os proíbam de agir quando julgarem necessário.

Tony Stark

Tony Stark é um herói perturbado e com um sentimento forte de culpa desde o primeiro Homem de Ferro (2008). As suas ações e da sua empresa sempre levaram à morte de pessoas, o que normalmente causa mudanças de comportamento no personagem. Mas agora, ele deixa a arrogância e o ego do herói de lado, e abre espaço para um Tony submisso a Ross e ao governo, e com muita paciência para diplomacia. Ele também está abalado porque seu relacionamento com Pepper não vai bem.

Capitão América VS Homem de Ferro (Bleeding Edge)

A força e resistência do Capitão América estavam muito superiores comparado aos filmes anteriores. Não apenas nas cenas de ação, mas também na luta contra Tony, os golpes desferidos e recebidos deveriam ter causado muito mais efeito em Rogers. O Homem de Ferro já lutou contra Thor e Hulk (com a Hulk Buster, claro), adversários que o Steve mal teria chance, mesmo usando o escudo. Imagina lutar apenas com os punhos como fez durante parte da luta e receber socos em cheio. O que me leva ao adversário, e sua armadura Bleeding Edge inspirada nas HQs. Já havia sido confirmado que armadura não teria as mesmas habilidades, mas eu esperava alguma nova arma especial, houve alguns equipamentos novos, mas nada que a destacasse, uma pena.

Pantera Negra

Uma das novidades do filme é o novo herói vindo de Wakanda - país fictício da Marvel – que teve sua história e poderes bem explorados. Com estilo de luta próprio e revestido de Vibranium é um das pessoas mais perigosas do grupo de Stark. Seu objetivo é matar o Buck, responsável pela morte de seu pai durante a explosão de uma bomba. Motivo que faz assumir o manto de Pantera Negra. Parte do público não conhecia o herói, mas pelo bom trabalho do roteiro acredito que muitas pessoas sabem quem ele é agora e estarão dispostas a assistir seu filme em 2018.

Batalha no Aeroporto

Uma das melhores partes do filme, senão a melhor mostrou muito mais cenas do que no trailer (Obrigado Deus!). Os confrontos aconteciam mano a mano, e até duas ou três pessoas contra uma só, acho que foi a melhor maneira de aproveitar todos os integrantes. E assim evitaram outra cena poluída visualmente, como em Vingadores 2 quando enfrentam o exército de Ultron, onde não sabemos para onde olhar.

Tom Holland: alguém que merece o manto do Homem Aranha

O aracnídeo ganhou grande destaque, porém com uma breve participação, na qual mostrou seus poderes e personalidade. A primeira aparição do amigão da vizinhança não é na cena do aeroporto, e sim... Vou deixar vocês assistirem, pois vale à pena. Quem já viu, sabe como é divertido. Tom fechou muito bem como o HA, não apenas na aparência, mas também pela personalidade bem humorada que conhecemos e por transmitir bem o que é ser um adolescente que teve a vida mudada em tão pouco tempo e ainda precisa assumir uma grande responsabilidade.

No aeroporto, durante boa parte da luta, ele se sobressai sobre o TimeCap, entretanto, ele não possui muita experiência, fazem apenas 6 meses desde ganhou os poderes. Apesar da noção de responsabilidade que precisa ter por ser herói, as características de um adolescente o destacam, mostrando falta de foco, excesso de piadas (em hora crítica), e uma certa insegurança. O que faz com que ele se distraia (mais de uma vez) e perca a vantagem sobre a luta. Tanto que o deixou machucado no final ao derrubar uns dos heróis e não perceber um “golpe” inesperado. 

Motivo pelo qual Stark diz a Peter que ele já fez o suficiente. Tony não quer a morte de outro jovem em sua consciência perturbada. Sendo um modo eficaz e elegante de retirar o personagem das cenas seguintes.

O vilão

Barão Zemo... Apenas Zemo. O personagem não possui nada em comum com o vilão dos quadrinhos, nada mesmo. O que me incomodou muito, pois desperdiçou um bom vilão apenas utilizando o mesmo nome. Faria muito mais sentido se fosse o General Ross como vilão, tentando acabar com os Vingadores. Ele também teve treinamento militar e poderia usar a mesma estratégia de Zemo.

Conclusão

O melhor de Guerra Civil é a transição da história que acontece naturalmente e incentiva o espectador a assistir empolgado e sem se cansar muito, durante as quase horas três do filme. Há excelentes cenas de ação e diversas situações de perigo para os heróis.

A batalha final foi incrível, o que começou como um combate de heróis terminou como se fosse uma luta de presidiários até a morte. O Soldado Invernal tendo o braço de metal destruído ao tentar arrancar o reator do Homem de Ferro, e com o Capitão América com suas últimas forças tentando salvar Buck, enquanto, usa seu escudo quase como uma pedra para espancar Tony.

O filme termina com os heróis do time do Capitão como criminosos, mas sabemos que no futuro, a ajuda deles será pedida para enfrentar Thanos. Tal situação parecida com o filme do Will Smith (Hancock), em que ele é um herói (criminoso), e quando a situação se torna crítica é chamado.


 Texto: Giulian Cavalli

Nenhum comentário:

Postar um comentário